Kelly Bolsonaro gosta de uma saia curta

Teve movimento contra o golpe, o retorno da ditadura, Kelly Cardoso aparece. Já invadiu o Palácio do Planalto, a Câmara dos Deputados, campo de futebol. A última dela, com a calcinha quase aparecendo, foi praticar um ato terrorista na UnB.

Kelly dispensa o sobrenome do presidente Fernando Henrique, o Cardoso, e prefere ser chamada de Bolsonaro, que é seu candidato a presidente, e cujas idéias defende. Um frase da Kelly:

“Em vez de cotas, deveriam dar passagem de volta pra África para aqueles que choram um passado que não viveram”.

Escreve Caroline Bchara: “O ato de extrema direita que ocorreu na noite de sexta-feira (17/6) na Universidade de Brasília (UnB) já é alvo de denúncias no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Neste sábado (18), foi protocolada uma ação contra a ativista Kelly Bolsonaro, tida como uma das organizadoras do evento, em que é questionada se a manifestação pode ser enquadrada como terrorismo.

O autor da denúncia é o profissional de relações públicas George Marques, de 26 anos: ‘Não foi só um ato político. Uma coisa é as pessoas terem opiniões políticas diferentes, outra é elas levarem bombas e armas de choque para uma manifestação. Isso é opressão”.

Garota de 13 anos sofre dois estupros coletivos de adolescentes psicopatas

A Polícia Civil de Sorocaba (SP) já identificou sete rapazes acusados de estuprar uma garota de 13 anos, este mês, no Wanel Ville, bairro da zona oeste da cidade. A adolescente foi submetida a duas sessões de estupro coletivo, segundo o delegado José Augusto Pupin, da Delegacia da Infância e Juventude (Diju), que ouviu os acusados.

Ela havia conhecido um dos rapazes pela internet. No primeiro caso, dia 5 deste mês, a adolescente foi obrigada pelo garoto a fazer sexo oral nele e em dois amigos dele. Uma semana depois, ela foi violentada por seis garotos, entre eles o namorado e um dos que já a havia abusado anteriormente, num terreno baldio do bairro.

Os acusados têm entre 12 e 14 anos e são estudantes, mas apenas dois são alunos da mesma escola da vítima. Como houve contradição entre as versões, o delegado vai ouvir a menina novamente na próxima semana. Ele aguarda ainda o laudo dos exames nas roupas da adolescente. Caberá à Justiça, após o fim do inquérito, decidir se aplica aos infratores medidas sócio-educativas ou internação na Fundação Casa.

Outra menina de 12 anos estuprada

A polícia começou a investigar outro estupro coletivo praticado por cinco rapazes contra uma menina de 12 anos em dezembro do ano passado, num bairro da zona norte de Sorocaba. Os garotos teriam gravado as cenas e ameaçavam postar na internet caso ela os denunciasse. A garota e sua mãe já foram ouvidas.

O bulismo impera nas escolas

O bulismo impera na maioria das escolas, e o estupro faz parte dessa onda de violência, com a mudança dos costumes. Hoje menina faz sexo com menino, moça com rapaz, sem essa do ritual de paquera, depois o namoro.

O medo da pedofilia, no Brasil de mais de 200 mil crianças prostitutas, levou os pais e a sociedade a aprovar o sexo cada vez mais cedo, com a proliferação de concursos de miss infantil, de miss juvenil, e a matrícula em escolas de modelo.

Na televisão, programas tipo BBBrasil estimulam a promiscuidade sexual, e assim nasce uma nova criança esperança. A estudante “sexualmente feliz”.

Isso facilita os estupros nas escolas e o voyeurismo dos pedófilos que também são psicopatas.

A psicopatia não tem cura. Por que esconder os retratos dos doiscriminosos que participaram dos dois estupros, um deles o namorado que deve ser o chefe do bando?

Leia os comentários

Veja vídeo sobre psicopatia infantil 

Sintomas de Psicopatia

A Psicopatia, também conhecida como Sociopatia, tem sido associada ao protótipo do assassino em série, porém, nem todos os assassinos são psicopatas e nem todos os psicopatas chegam a ser assassino, ou mesmo fisicamente violentos!

Importa desmistificar esta ideia, porque podemos estar a lidar diariamente com um psicopata, sem termos a noção que aquela pessoa está realmente doente e que afinal, todas as intrigas, confusões, desacatos, mentiras e mau-estar causados pelo mesmo, não são apenas fruto de “mau feitio”. Há pessoas que só se apercebem que têm lidado de perto com um psicopata, momentos antes de uma fatalidade lhes acontecer, nomeadamente o seu homicídio.

Embora esta doença seja mais comum no homens, também é possível encontrar mulheres sociopatas.
Os primeiros sinais começam a tornar-se mais evidentes a partir dos 15 anos de idade, embora se possam reconhecer algumas atitudes que apontem neste sentido em idade mais tenra. Eis então os sintomas principais que um psicopata apresenta:

– Ausência de Culpa: Nunca sente arrependimento, nem remorsos. Os outros é que são os culpados de tudo o que acontece de mal e vive com a certeza absoluta que nunca erra, nem errou. Não teme a punição por ter a certeza que tudo o que faz tem um propósito benéfico, (para ele, claro!), embora tenha a noção de que os seus actos são anti-sociais.

Quando é denunciado, recusa a reabilitação ou qualquer tratamento e na impossibilidade de fugir, simula uma mudança de carácter, para mais tarde voltar aos padrões comportamentais que lhe são característicos e até, vingar-se de quem o tentou ajudar!

– Mestres da Mentira: Para eles a realidade e a ilusão fundem-se num só conceito pelo qual regem o seu mundo. São capazes de contar uma mentira como se estivessem a descrever detalhadamente uma situação real. Não mentem apenas para fugirem de uma situação constrangedora, mas pura e simplesmente porque não sabem viver sem mentir.

– Manipulação e Egoísmo: Não tem a noção de bem comum. Desde que ele esteja bem, o resto do mundo não lhe interessa. O psicopata é um indivíduo extremamente manipulador que usa o seu encanto para atingir os seus objectivos, nunca pensando nas emoções alheias. Não reconhece a dor que provoca nos outros e por isso, usa as pessoas como peões, objectos que pode pôr e dispor conforme lhe convêm. Manifesta facilidade em lidar com as palavras e convencer as pessoas mais vulneráveis a entrarem no “jogo” dele.

Querem controlar todos os relacionamentos, impedindo que familiares e amigos confraternizem paralelamente, sem a sua presença. Para tal recorrem as esquemas, intrigas e claro, ao seu charme para se fingir amigo.

– Inteligência: O QI costuma ser acima da média. Há casos de psicopatas que conseguem passar por médicos, advogados, professores, etc, sem nunca terem frequentado uma universidade! São peritos no disfarce, excelentes auto-didactas e fazem-no na perfeição.

 Ausência de Afecto: Não são pessoas afectuosas com o próximo e enquanto pais, não são do género de “dar colo” aos filhos. Usam os filhos como “marionetas”, em função dos seus próprios interesses, não respeitando as suas escolhas, quer a nível pessoal, quer profissional! Baseia os seus “métodos educativos” na humilhação e chega a ser totalmente negligente para com os seus.

– Impulsivo: Devido ao défice do superego, não consegue conter os seus impulsos, podendo cometer toda a espécie de crimes, friamente e sem noção de culpa. Costuma fintar até o teste do polígrafo, porque o seu ritmo cardíaco não se altera quando profere mentiras e nem quando comete crimes.

– Isolamento: Gostam de viver sós e quando vivem com outros, querem liderar o grupo, mesmo que para isso destrua uma família inteira.

Existem mais sintomas que denunciam a Psicopatia e, após a leitura deste texto, até pode ser que reconheça alguns destes sinais em familiares seus e pessoas que lhe são próximas.

Ler mais  sobre psicopatia

Sobre 

Bullying

Capa de hoje. Três calouros em coma alcoólico

Capa de hoje. Três calouros em coma alcoólico

Três calouros da Universidade de Brasília (UnB) estão internados no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) em coma alcóolico. Segundo os familiares, os jovens, alunos dos cursos de Agronomia e Ciências Contábeis, passaram por um trote sujo em um bar, na 408 Norte, no início da noite desta quinta-feira (15/03). Esse tipo de trote tem a intenção de humilhar os novatos. Parentes de dois dos estudantes, ambos de 18 anos, afirmaram ao Correio que eles ainda continuam inconscientes na emergência da unidade de saúde. Eles teriam sido obrigados a beber após aula na instituição. A chefia de equipe do Hran se negou a passar informações sobre o quadro clínico dos pacientes.