Eu chuva poesia de Mauri König

Hoje choveu bastante em Curitiba
O que não é novidade
Todos sabem
Curitiba é feita de chuva
A chuva de hoje, no entanto
Fez brotar em mim um espanto
Eu queria ser a chuva
Ela vem e vai quando quer
Ela nos lava a alma
Nos suja de barro
Estraga sapatos
Desarranja cabelos
Mas faz brotar uns sentimentos…
Que, sei lá, nos põem doidos varridos
Eu queria ser chuva
Queria poder chover onde quisesse
Sem medidas nem restrições
Eu queria chover a cântaros
Molhar todas as almas para além dos corpos
Queria lavar a alma suja de toda gente
Queria lavar a minha alma encardida
Queria regar a infância
A infância perdida de quem já não brinca na chuva
Queria escorrer pela sarjeta
E levar para o fosso toda a sujeira do mundo
A chuva que choveu hoje
Fez brotar em mim um espanto
Queria me multiplicar em um trilhão de gotas
Esses trilhão de coisas que imagino ser
Viver a ilusão da liberdade
A liberdade enquanto bailo no ar
Ao sabor dos ventos
Até encontrar a realidade do chão
O chão de cimento
(onde foram parar as ruas de terra da minha infância?)
A chuva de hoje foi mais real que a de ontem
Era linda e no entanto
Fez brotar em mim um espanto
Não posso ser chuva
Eis que sou barro

Anúncios

Brasil: Marchan en favor de la democracia y para rechazar intentos de golpe de Estado contra Rousseff

Las protestas se dieron en el marco de la conmemoración del 52º aniversario del inicio de la dictadura militar de Joao Goulart.

 

EL CIUDADANO – Con motivo de la conmemoración del 52º aniversario de la última dictadura militar y para rechazar unánimemente los intentos de golpe de Estado contra el Gobierno de la presidenta Dilma Rousseff, decenas de miles de brasileños marcharon este jueves en cerca de nueve ciudades del país.

“Hay fascistas en el Congreso. No al golpe de Estado” y “La oposición quiere retirar a Dilma [Rousseff] del poder para acabar con el Gobierno del pueblo”, fueron algunas de las consigas que se leyeron en los carteles de quienes manifestaron este jueves.

El expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva saludó a los manifestantes que se encontraban concentrados en Brasil este jueves y aseguró que con estas actividades se “está mostrando los valores de la democracia”.

Añadió que la destitución de Dilma Rousseff carece de base legal y señaló que quienes apoyan a su Gobierno son “los que creen en la democracia y la defienden con el cuerpo y el alma en las calles, en las escuelas, en el trabajo, en las redes sociales, en las iglesias”.

Explicó que de un lado están quienes pretenden aprobar un juicio político sin base legal, “lo cual constituye un golpe, y de otro los que acreditan y valoran la democracia y salen a defender la Constitución, el Estado de Derecho y las conquistas sociales”.

Las concentraciones en favor de la democracia se reprodujeron también en otros países, entre ellos en Alemania, Francia, España y Uruguay.

El golpe de Estado contra el presidente Joao Goulart se produjo el 31 de marzo de 1964, y marcó el inicio de la dictadura militar que se extendió hasta 1985.

Juicio por el caso Petrobras

Este jueves el Tribunal Supremo Federal (STF) de Brasil votó a favor del envío de la investigación contra el expresidente Lula da Silva a la Corte Suprema, de manera que el juez Sergio Moro se hará cargo nuevamente del caso.

En la plenaria del STF también será definido si Lula podrá ejercer sus funciones como ministro de Casa Civil (Jefe de Gobierno).

El Congreso y la derecha de Brasil pusieron en marcha un plan para difamar al Gobierno de la presidenta Dilma Rousseff y desprestigiar los logros alcanzados en beneficio del pueblo, mediante intentos de enjuiciar a la jefa de Estado por el caso de corrupción en la estatal Petrobras.

Governo entrega meio milhão de reais para publicar a biografia de Claudia Leite

Para o espanto do jornalista Angelo Castelo Branco, a empresa de Claudia Leite pede meio milhão para publicar livro sobre a cantora via Lei Rouanet.

“Esse país está perdido e sem rumo!”, exclama Angelo.

Dinheiro para editar a obra dos grandes poetas não aparece. Nem para lançar um novo romancista.

O livro da Claudia deve ser mais uma biografia oficial de propaganda da degeneração da música brasileira.

Não sei por quê gastar meio milhão com a cantora que se tem tudo dela de graça na internet? Veja aqui

Principalmente neste link. Clique 

Escreve Mariana Alvim:

Vem aí, em edição bilíngue português/inglês, o livro da Claudia Leitte.

A Ciel, empresa que administra a carreira da cantora, acaba de conseguir o o.k. do Ministério da Cultura para captar, via Lei Rouanet, R$ 356 mil (o pedido inicial foi de R$ 540 mil) para o lançamento da obra.

E o que será este livro? Trará uma “entrevista exclusiva” com Claudia, letras e partituras dos seus principais sucessos, além de fotos inéditas.

O relatório que o ministério aprovou garante que “trata-se de uma obra de cunho jornalístico, com entrevista com a artista não só sobre a sua trajetória, mas também impressões sobre o cenário da música nacional e estrangeira.”. Mais: “a obra gera, neste sentido, impacto cultural positivo”.

A edição de 2 mil exemplares será lançada em São Paulo, em local que tenha rampas para portadores de necessidades especiais, detalha o parecer dos técnicos. Até aí, beleza.

A partir daí, o relatório faz apenas projeções. Por exemplo, diz que a Ciel “estima que o livro seja lido por no mínimo 20 mil pessoas (10 pessoas o exemplar)”. Crava também a “presença de 500 pessoas ao evento de lançamento”

QUANDO O TEMPO PARA

de Talis Andrade

Nenhum pregão dos ambulantes
na feira
nem a alegria das brincadeiras
das crianças no parque
nem a voz de um transeunte perdido
nem o sussurro dos amantes
escondidos

Nenhum som de chuva
no telhado
de ventania nas janelas
Nenhum bater de asas

Fora e dentro da casa
o desgosto
o silêncio do abandono

Na solidão da casa vazia
os espelhos não refletem
nenhum rosto
Não existem fantasmas
na solidão

Os carnavais da Jardineira

Foi a música de todos os meus carnavais

Vem jardineira
Vem meu amor
Não fique triste
Que este mundo é todo teu

Escreve o poeta Nei Duclós: A Jardineira é música popular, de autoria anônima, recolhida no interior da Bahia por Humberto Porto, que a adaptou junto com o flautista, saxofonista e compositor Benedito Lacerda, para ser lançada em 1938 por Orlando Silva.

Porto morreu com 35 anos e Lacerda com 55.

Benedito Lacerda, como Luis Antonio, é um dos grandes compositores brasileiros saído das Forças Armadas. Na banda da corporação começou tocando bumbo porque não sabia música. Mas estudou e virou parceiro de Pixinguinha. Coisas do Brasil soberano da era Vargas, quando éramos um país. Hoje parece que colocam trocentos alto falantes tocando funk nas praças. Bleargh

Qual foi a primeira cena de sexo no cinema?

Hoje em dia é comum vermos cenas de sexo no cinema e até em novelas em horário da tarde, principalmente depois dos filmes “Ninfomaníaca” e “50 tons de cinza”, que causaram furor em todas as idades.

Mas afinal, qual foi a primeira cena de sexo do cinema comum, excluindo a industria pornográfica?

Antes de falar o filme é necessário saber um pouco do diretor que quebrou tabus: Gustav Machatý nasceu em 1901 em Praga. Diretor de 17 filmes e roteirista de outros 10, ele era um apaixonado pelo erotismo, unindo-o ao amor e fúrias de suas histórias. Suas imagens são ousadas e quebraram muitos tabus da época.

Ecstasy, de 1933, é um filme parcialmente falado e estrelado por um atriz austríaca de 18 anos, Hedy Lamarr. Duas cenas em particular causaram a sensação de desejo, erotismo e sexo no filme.

Uma delas mostra Lammar nadando nua em um lago (imagine isso em 1933!) e a outra é considerada a primeira cena de sexo do cinema, ou como alguns preferem dizer “primeira representação de relações sexuais em filme não-pornográfico”.

A câmera não mostra cenas explícitas e fica focada apenas no rosto de Lammar, que tem expressões de prazer e espasmos de excitação – aliás, a primeira cena de sexo do cinema é também a primeira representação do orgasmo feminino no cinema.

Um marco para a história do cinema e para a sexualidade humana!!

Assistam ao vídeo (cruzando os dedos para não sair do ar). In Sensualise Moi