A fonte da reportagem da IstoÉ que prendeu Lula


andradetalis

Nesta terça-feira (8/3), Dia Internacional da Mulher, as jornalistas da revista IstoÉ divulgaram uma carta de repúdio às ofensas sofridas por Débora Bergamasco, diretora da sucursal de Brasília e autora da matéria “A Delação de Delcídio”, publicada na última quinta (3/3).

Elogio, ressalto, e considero um gesto raro a solidariedade de uma redação, quando um companheiro/ companheira é injustamente demitido ou vítima de difamação. Que o jornalismo é uma profissão desprotegida, pessimamente remunerada, e a liberdade de imprensa continua sendo propriedade do patrão, e não um direito do empregado.

Denuncia a redação da IstoÉ: “Débora Bergamasco tem visto, nos últimos dias, seu esforço jornalístico colocado em xeque em meio a insinuações de ordem moral, sem nenhum fato, testemunho ou dado concreto que fragilize seu trabalho jornalístico. Quantas vezes nós, mulheres, temos de suportar comentários que aproximam nosso desempenho profissional à nossa vida afetiva ou sexual? Por que o trabalho de…

View original post mais 938 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s