Independência ou morte


Palavra, onde estás?
– Estou transformando-me,
em espirais de fumaça,
ou em nuvem passageira,
talvez metamorfoseando-me,
em sombra sem vestígio,
ou provocando rajada de vento,
em solo desencontrado.

Palavra, onde estás?
– Estou decerto ignorada,
tornando-me nada,
ou dizimada em um lugar qualquer.

Palavra e, a ideologia?
– Ideais são almas,
brotando do inquieto olhar,
fazendo a boca silenciar,
embalando o sorriso,
na solitária dança.
_Entretanto,
a sabedoria quando dela sai,
torna-se minha mortalha.

Palavra, e quanto ao amor?
– O amor sim, deve ser resguardado,
como eu, quando sem sapiência,
ele evapora, quando dele se fala…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: