Independência ou morte


Tânia Marinha poema manuscrito
Eu te amei tão profundamente todos os dias e todas as noites.
O meu amor era tão claro como os dias de verão e tão profundo como as águas do rio que cerca minha cidade.
Eu te amei tanto, que meu amor dava para nós dois.
Tentei, de todas as maneiras, fazer que tu me escutasses.
Minhas palavras se chocavam com o mundo frio do teu silêncio.
Hoje, meu coração é cinzento como as águas do mar nas tardes de inverno.

Seleta de Themis Marinho

Anúncios

Comentários a: "Poema do amor eterno de Tânia Marinho" (2)

  1. Cicera Farias said:

    Nossa! Esse foi um de muitos lindos que lê até hoje. Para quem sabe o que é um grande amor, dever saber quer nunca acabara. Amei!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: