Cunha – a última flor do Lácio


andradetalis

por Laerte Braga

Pelicano Pelicano

A língua portuguesa tem características interessantes. Muitas vezes o sim quer dizer não e o não quer dizer sim. Cunha no sentido de moldar um objeto, por exemplo. Ou cunha, algo próximo de um pé de cabra, instrumento preferido dos arrombadores para abrir portas em residências alheias.

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados. Molda o País ao sabor dos interesses de empresas e grupo religioso que representa. Arromba a Constituição e o Regimento Interno da Casa, quando faz votar a mesma matéria num só período legislativo. Falo do financiamento de campanhas eleitorais. O deputado, numa só noite, demonstrando o que será o shopping que fez aprovar duas semanas antes, inaugurou a loja de benesses para mudar o voto de setenta e um deputados.

Ao contrário de Severino Oliveira, eleito presidente da Câmara em tempos passados e incapaz de ter o comando do plenário e das…

View original post mais 417 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s