Independência ou morte


O papa Francisco saiu, neste domingo (5) à noite, da Nunciatura Apostólica, onde está hospedado em Quito, para rezar na rua com os fiéis que ali faziam vigília.

“Vou abençoá-los para que descansem e deixem dormir os vizinhos”, disse, de acordo com vários relatos no Twitter.

Francisco rezou o Pai Nosso e voltou a entrar na sede da Nunciatura, mas deixou as pessoas felizes e emocionadas.

Imagens nas redes sociais mostram o papa com os braços abertos aos fiéis que estavam à sua frente, em uma aparente quebra do rigoroso protocolo que se aplica a esse tipo de situação.

O chefe da Igreja Católica vai permanecer no Equador até quarta-feira (8), seguindo depois para a Bolívia e o Paraguai. Brasil Post

Equador

Equador

O SOL E A LUA

Foram tantíssimas, certamente algumas centenas de milhares, as pessoas que acorreram pelas estradas de Quito para saudar com pétalas de flores muito coloridas o Papa Francisco no seu regresso à América Latina. Numa viagem que depois do Rio de Janeiro para a jornada mundial da juventude – encontro já estabelecido pelo seu predecessor, mas que se revelou programático poucos meses depois do início do pontificado – é a primeira americana decidido por Bergoglio, que visitará Equador, Bolívia e Paraguai.

Logo que chegou depois de um longo voo, o Pontífice foi recebido no aeroporto pelo presidente equatoriano Rafael Correa com um apaixonado discurso no qual, definindo o hóspede um «gigante moral» no cenário internacional, mostrou em vários pontos uma convergência com as suas preocupações. E quem frisou logo a seguir esta «consonância» foi o próprio Papa, que se apresentou como testemunha da misericórdia de Deus e da fé em Jesus Cristo.

No Evangelho – disse de facto Bergoglio – é possível encontrar as chaves para fazer face aos desafios de hoje: valorizando as diferenças e favorecendo o diálogo. Mas com uma atenção particular a quem é mais frágil e às minorias mais vulneráveis, que ainda são «a dívida de toda a América Latina» acrescentou. E neste compromisso, ao qual se tinha referido Correa, a Igreja estará sempre disposta a colaborar com o Estado «para servir este povo equatoriano que se levantou com dignidade» garantiu o Papa.

Entre os cimos andinos do país o imponente do Chimborazo é geograficamente o ponto da terra mais próximo do sol e da lua, recordou Bergoglio. E ao evocar os dois astros, o Papa Francisco mencionou um tema querido a ele e ao seu predecessor, observando que na tradição cristã eles são imagem respectivamente de Jesus – «sol que nasce do alto» – e da Igreja. Com efeito, como a lua ela não brilha de luz própria mas é iluminada precisamente por Cristo, e quando sai da sua luz e se afasta dela deixa de ser sua testemunha, obscurece-se.

Por conseguinte, para ser reflexo da luz e do amor do Senhor o povo do Equador – concluiu o Pontífice – nunca deve perder «a capacidade de dar graças a Deus por aquilo que fez e faz por vós; a capacidade de defender os pequeninos e os simples, de cuidar das vossas crianças e idosos, que são a memória do vosso povo, de ter confiança na juventude, e de sentir admiração pela nobreza da vossa gente e pela beleza singular» do país. Que «segundo o presidente é o paraíso» acrescentou Bergoglio retomando uma frase do presidente, que alude também à necessidade de o proteger. G.M.V./ Osservatore Romano

NO MEIO DO MUNDO

Mitad del mundo: os cartazes estradais e os mapas turísticos de Quito indicam que por estes lados passa a linha do Equador. E foi por aqui que Francisco quis iniciar a viagem mais longa do pontificado.

O Equador resume bem as características e todas as contradições da América Latina, como o Papa pôde ver desde a sua chegada a um país que conhece bem, por lá ter ido várias vezes no passado. Por isso no primeiro discurso pronunciado na terra do último soberano inca Atahualpa, fez votos de que o progresso e o desenvolvimento que estão a decorrer «garantam um futuro melhor para todos», sobretudo para «as minorias mais vulneráveis». E pediu dignidade, dando voz a quem não a tem, invocando mais justiça social, para o resgate de todo o continente.

Gianluca Biccini/ Osservatore Romano

Anúncios

Comentários a: "Equador. Papa Francisco reza com fiéis na rua" (1)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: