Independência ou morte

De Dade Amorim


Intervalos de abrir a poesia

Intervalos

entre uma e outra tarefa

misturam alegria

terra presa nos sapatos

e às vezes uma surpresa inesperada.

Caem frutos maduros sobre as mãos abertas

pingos de chuva

olhares e intenções

ao longo das estradas do futuro.

Abre-se o vento pelas portas

e a pele regenerada de carícias

pode se abrir ao amor

nos intervalos entre uma e outra

das incontáveis tarefas de um dia.

Tela de Leonor Fini

Anúncios

Comentários a: "De Dade Amorim" (1)

  1. Ficou lindo, de verdade!
    Obrigada, valeu mesmo.
    Abraço e beijo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: