De Dade Amorim


Intervalos de abrir a poesia

Intervalos

entre uma e outra tarefa

misturam alegria

terra presa nos sapatos

e às vezes uma surpresa inesperada.

Caem frutos maduros sobre as mãos abertas

pingos de chuva

olhares e intenções

ao longo das estradas do futuro.

Abre-se o vento pelas portas

e a pele regenerada de carícias

pode se abrir ao amor

nos intervalos entre uma e outra

das incontáveis tarefas de um dia.

Tela de Leonor Fini

Anúncios

One thought on “De Dade Amorim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s